De volta as nossas raízes: Fartura SP

Falar de gastronomia nos dias de hoje, é olhar com carinho para trás. A culinária atual retrata a raiz, a comida de quintal, os ingrediente simples, o mato de horta, a flor de jardim, produtos e produtores locais. No momento em que a culinária brasileira está em evidência, pesquisar e se aprofundar no que é nosso, tem sido um “para casa” para estudiosos e chefs que, dentro ou fora das cozinhas, estão celebrando nossa cultura gastronômica de forma nobre e encantadora.

Este momento gastronômico e cultural de valorização pode ser presenciado e degustado no Festival Fatura, que ocorreu durante este final de semana (25 e 26 de junho) na cidade de São Paulo, que reuniu no Jockey Club, chefs, cozinheiros, produtores, estudiosos e apaixonados pela gastronomia revelando que todo prato tem história de raiz com começo, meio e fim.

O Fartura nasceu em Minas Gerais, com o Festival de Gastronomia de Tiradentes, evento que reunia na pequena cidade mineira chefs nacionais e internacionais elevando o staus gastronômico da cidade e o turismo regional. O festival que esta prestes há completar 19 anos em agosto, cresceu, transformou-se em expedição gastronômica, itinerante e abrasileirada, conquistando as capitais de Belo Horizonte, Porto Alegre, Fortaleza e agora São Paulo.

Expedição Fartura

A expedição entrevistou mais de 450 personagens durante 250 dias em 26 Estados mais o Distrito Federal, totalizando 180 cidades com quase 70 mil quilômetros. E o que esses personagens tinham de tão especial? Paixão pela comida, respeito pelo ingrediente e riquezas impagáveis tidas como tradição e memória gustativa.

Com o mapeamento realizado e catalogado em 4 livros e 3 filmes – produtores, cozinheiros e chefs mantém a relação direta com a comida elevando sempre o que há de melhor em cada região.

Nesta edição, como bons mineiros prestigiamos a Cozinha Interativa da Chef Naiara Faria, do Restaurante La Palma de Belo Horizonte, aprofundamos nossas pesquisas em torno dos Ingredientes, com a aula de Pancs – O universo das plantas alimentícias não convencionais, com Michele Coelho Novembre, coordenadora do curso de Gastronomia do Senac, Águas de São Pedro (SP) e nos deliciamos com o melhor da gastronomia brasileira em pratos, petiscos e simpatia.

O que provamos por lá:

Medalhão Suíno grelhado ao Molho de Cebola Roxa com Farofa de Castanha, Polenta cremosa e Folhas Mineiras – Cozinha Interativa, Chef Naira Faria (receita). Naiara levou para os paulistas e argentinos (que participaram da aula), a carne suína ícone da nossa cozinheira mineira.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Chocolate Cremoso com Praliné crocante de Castanha, da Chef Lia Quinderé, da Sucré Patisserie de Fortaleza (CE). Lia prova com seu chocolate que é possível reinventar a pâtisserie à francesa com produtos regionais e bem abrasileirados com a castanha do Brasil.

Baião de Dois, conhecido como Rubacão pelos paraibanos, leva feijão verde, arroz vermelho, carne de sol, queijo coalhado e picles de maxixe do Chef Onildo Rocha, do Roccia Cozinha Contemporânea de João Pessoa (PB).

Churros de Tapioca. SIM e salgado! A Chef Morena Leite, do Restaurante Capim Santo, localizado na capital paulista trabalhou de forma mágica a tapioca desenvolvendo uma massa leve de churros com farinha de tapioca, recheado de vatapá de frutos do Mar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Encontramos a fofa Tanea Romão, do prestigiado restaurante Kitanda (fechado em maio  deste ano na cidade de Tirandentes). Segundo Romão, “Estou descansando um pouco da cozinha, voltando para São Paulo”, mas, o que vimos foi a simpática e querida chef dando uma mãozinha na barraca do Restaurante Arimbá (SP) da Chef Angelita Gonzaga, que tinha uma extensa fila em busca do delicioso Rojão com arroz caipira e vinagrete de maxixe.

IMG_8089

As Chefs Angelita Gonzaga e Tanea Romão Fotos: Renan Lameu

E para finalizar o tour gastronômico, um improvisado e delicioso Caldo de Peixe com Banana Chips, do Suri Ceviche & Bar (SP) do Chef Dagoberto Torres. O improviso em questão não deixou a desejar o Prato Mejillones al pisco (Mexilhões frescos cozidos ao molho de tomate com leite de coco, pisco coentro e arepas), antes programado pelo Chef.

Pelo respeito aos ingredientes e clientes. O chef explicou e os responsáveis pelo evento se desculparam. “Devido à chamada maré vermelha no litoral, não foi possível adquirir os mexilhões” – Perdoados ❤

Para quem ficou na vontade, ou perdeu o evento fiquem felizes ainda dá tempo de curtir o Festival Fartura este ano e de quebra conhecer nossa terrinha. O projeto que visa valorizar a gastronomia brasileira e explorar segmentos como regiões, produtos e produtores que inspiram receitas nacionais preparadas pelos chefs espalhados pelo Brasil, estarão nos próximos meses em Tiradentes, cidade carinho que deu asas ao evento e na capital mineira que há três anos abraça o Festival.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Coloque na agenda e #conheçaMinas

Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes

Data: 26 de agosto a 04 de setembro
Local: Praça Central – Tiradentes/MG

Festival Fartura BH

Data: 24 e 25 de setembro
Local: Praça José Mendes Junior – Lourdes/Belo Horizonte

 

Anúncios

Uma resposta para “De volta as nossas raízes: Fartura SP

  1. Pingback: Diversidade Gastronômica no Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes | Ingrediente da vez·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s